segunda-feira, 26 de junho de 2017

CORPO A CORPO

CORPO A CORPO

Como em luta eu jogar contra o teu peito
Meu corpo sob teu corpo atravessado
Para que toda entregue ao meu cuidado
Te possua no abraço mais estreito.

Uma pequena morte d'esse jeito
Nós vivemos enquanto lado a lado
Me tiras todo o fôlego e, esgotado,
Enfim eu me abandono sobre o leito.

Nas lides d'amor sempre sou vencido
Pela tua violência carinhosa
Que em minha carne tenho mais sofrido.

Decerto uma inimiga perigosa
A quem por suave força submetido
Mais de minha fraqueza por fim goza.

Pouso Alegre - 18 06 2017