quarta-feira, 5 de julho de 2017

VELÓRIO

VELÓRIO

A vela acesa, o fósforo apagado...
Sobre a mesa os distingo pensativo:
"Se para morrer basta-se estar vivo,
Eis aqui vida e morte lado a lado!"

A luz a propagar-se é antes Fado,
Que às trevas devassava imperativo.
Resta apenas prantear sem lenitivo
Tudo o que agora fica no passado.

O fósforo apagado, a vela acesa...
Se este ardeu sua vida com presteza,
Aquela se consome lentamente.

Em chamas, todavia, vão queimar
Seja ligeiro; seja com vagar,
Como luz que alumia indiferente.

Betim - 04 07 2017